Reflejos

Panorama do mercado de trabalho para TI até 2023

Projetando o futuro do setor tecnológico, a tendência é de que o segmento cresça cada vez mais e novos cargos ascendam a cada ano.

Os avanços práticos da Transformação Digital refletiram positivamente para a criação de novas funções no mercado de trabalho. Entre elas, podemos destacar cargos como Cientista de Dados, Analista e Desenvolvedor de BI. Conduzindo a adoção nas empresas no que há de mais valioso em termos de tecnologia, esses profissionais representam o sucesso por trás da adoção de políticas internas inovadoras. Para que possamos compreender o aumento gradual da presença desses profissionais nas organizações, é necessário se aprofundar nas contribuições reais dos especialistas em relação ao cotidiano empresarial como um todo.

Segundo um relatório publicado recentemente pela IDC, empregos voltados à tecnologia continuarão crescendo até 2023. A pesquisa ainda aponta que somente em 2020, cargos de tempo integral em tecnologia da informação e comunicação serão responsáveis por 55,3 milhões de posições no mercado de trabalho. Os números apresentados simbolizam um aumento de 3,9% em comparação à 2019.

Os resultados favoráveis comprovam a urgência de se adequar o operacional das companhias, independentemente de seu porte, à nova forma de se enxergar o uso de dados e soluções inovadoras. Não por acaso, a previsão dos especialistas é de que haja 62 milhões de empregos no setor até 2023, com uma taxa de crescimento anual de 3,8%.

 

A consolidação dos dados como objeto de valor

Nos últimos anos, os executivos têm acompanhado uma mudança radical na percepção dos usuários sobre a utilização de seus dados pessoais. Como reflexo dessa busca por mais transparência e segurança, a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) está prestes a entrar em vigor neste ano. Para preservar a reputação e saúde fiscal das empresas, tornou-se indispensável o uso responsável de informações armazenadas, manipuladas e repassadas.

É nesse contexto que os Cientistas de Dados exercem uma função primordial. São eles os encarregados de estabelecer padrões e correlações entre os materiais coletados, dessa forma, atribuindo modelos preditivos como método de correlacionar eventos, assim estabelecer similaridade de situações e com certo grau de certeza antecipar às decisões e os resultados de negócio.

Contar com esse profissional é incluir uma ótica estratégica de acordo com as novas obrigações legais e, além disso, manter as operações sistêmicas em harmonia com a Transformação Digital e suas vertentes. Além disso, a LGPD também foi responsável por criar o cargo do DPO, Data Protection Officer, que já está sendo estudado por diversas empresas.

 

Mudança de mentalidade não deve parar

Considerando os dados citados anteriormente e a importância das funções relatadas, é sempre essencial destacar que nada será realizado se não houver, por parte dos executivos responsáveis, uma mudança generalizada de como as atividades operacionais devem ser conduzidas. Abraçar a implementação dos novos cargos não é simplesmente seguir uma tendência mercadológica, mas incluir sua empresa em um novo patamar de produção e competitividade.

Desmistificando a noção de que a tecnologia veio para substituir o material humano, a projeção da IDC comprova que o efeito é justamente reverso: cada vez mais, novas funções serão preenchidas por profissionais capacitados, estendendo o leque de possibilidades para os que buscam oportunidades no setor.

Você já consegue identificar se sua empresa está em harmonia com as consequências favoráveis da Transformação Digital?